Livro de Ponto

...Soma e Segue...

sábado, 31 de dezembro de 2011

Self Evaluation

Para avaliar a concretização das minhas resoluções deste ano, nada melhor que colar aqui a lista e...fazer o tradicional checked! Vamos lá ver se me portei bem:





a. Passar mais tempo junto das pessoas que amo (às vezes a culpa não é minha…)
b. Deixar crescer o cabelo
c. Emagrecer - bastante
d. Vestir-me melhor - porque vou estar mais elegante
e. Continuar a ser menina da “casa da mamã”
f. Manter-me fiel às caminhadas com o Lab
g. Fazer as jantaradas mensais com as minhas amigas
h. Usar a pasta Guess - não no contexto que gostava...
i. Viajar mais – começar a conhecer as capitais europeias
j. Ler mais
k. Comprar The Complete Calvin and Hobbes
l. Comprar um estojo grande para todo o meu material escolar
m. Maquilhar-me diariamente
n. Sair mais vezes à noite - como estarei uma brasa... (pode ser que não tenha frio)
o. Dormir mais
p. Perfumar-me mais
q. Conseguir aquele bronze
r. Ver mais televisão – as minhas séries da Fox
s. Continuar a viver sozinha
t. Fazer mestrado
u. Cuidar das minhas unhas – pelo menos ser fiel ao gel
v. Ser mais cuidadosa com a casa (passar a ferro)
w. Ser frequentadora da florista (ter a jarra sempre linda)
x. Dar uso ao material da natação (cof cof, parado há um ano…)
y. Poupar mais dinheiro
z. Comprar o Série Um





ora então, fica por concretizar:

a) Viagens
b) Leituras
c) The complete Calvin & Hobbes
d) Mega estojo
e) Ver televisão
f) Voltar à natação
g) Adquirir o série 1

Bem, que fique claro que, para 2012 dispenso:
*Ver televisão
* Voltar à natação
* Adquirir o série 1

Quero apenas manter o que conquistei e, a pedir algo que venha lá então:
1. Saúde
2. Família, Lab incluído, e amigos por perto
3. Emprego
4. Amor (venha ele de onde vier - leia-se familia, amigos, colegas...)
5. Bom senso.

FELIZ ANO NOVO



sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Bronze antecipado


Barreiro?! Era longe?! Não era nada!! Loulé é muito mais "perto"...Oh ciganita dum raio!


Eu sou assim, tenho de ir espalhar a minha graça por esse país fora e com os dias a "crescer" e o ano novo a "entrar" nada melhor que mudar de ares e ir um pouco mais "abaixo", porque não até ao Algarve?! Antecipar o verão, o bronze, a casa de férias e tudo e tudo e tudo!!


Vá, agora já consigo escrever algo e, de certa forma "brincar" com a situação. Mas a verdade é que quando soube, ontem, o meu mundo caiu-me aos pés. Literalmente. Depois de, ligeiramente, me levantar, começar a ver o bom, assaltou-me "o mestrado" em Lisboa...toca de ver no google maps o tempo (sim, nem é a distância) a que me encontrarei de Odivelas. Ok, ok. Duas horas e meia. Pronto, dá para fazer!


E é assim a vida. O meu piqueno ZE sempre a somar quilómetros! Oxalá dure, e dure, e dure...

[ claro está que este assunto ainda me vai trazer aqui a bater mais umas teclas. mas por hoje, chega.]



terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Pronto! E as férias terminaram! Agora é tempo de pôr mãos à obra! A bem dizer, não se chama a isto de férias, mas de pausa - após uma semana intensa em que passámos quase doze horas na escola, três dias de tréguas não me parece de todo desabido! Agora é altura de arregaçar mangas e começar as avaliações individuais! A isto se chama um verdadeiro pincel! Haja inspiração vocabular, metas de aprendizagem ao lado e siga! Um a um, até chegar aos vinte e três piquenos daquela que foi, até quarta feira passada, a minha turma!
Vamos cá fazer apostas...da última vez levei cerca de vinte minutos por aluno...será que consigo diminuir este timming?! I´m not sure...

http://sementesmagicas.blogspot.com/

domingo, 25 de dezembro de 2011

Do Natal

A malta não se aguentou até muito tarde…ainda tentámos, mas às vinte e três o João Pestana veio definitivamente.
Hoje, acordámos relativamente cedo, tomámos um super pequeno almoço em família e trocámos os nossos presentes de Natal! Uma alegria, como sempre!
As minhas “prendas” foram meras lembranças – todos sabem que devido à situação profissional e a futuros projetos, o meu orçamento é muito restrito, além claro, de estar, novamente, “desempregada”.
O melhor de tudo não são, obviamente, os presentes, mas sim o ambiente da partilha e da cumplicidade com que esta é feita! Sempre na companhia do nosso Lab, que é igualmente membro da família.
De entre as prendas, salienta-se em especial o documento assinado pelos pais, onde dão como prescritas as nossas dívidas – sim, a coisa já ia num montante consideravelmente alto…
Fica a foto, como é hábito da casa! Há um presente não fotografado, mas do qual, a seu tempo falarei!

sábado, 24 de dezembro de 2011

Fiel Companheiro

http://nossofielcompanheiro.blogspot.com/

Qualquer tristeza desvanece perante um sorriso destes! Os sorrisos e as terapias do pêlo!


A minha coisinha mais linda do mundo está aqui na sala connosco. Muito embrulhadinho no seu cobertor com um ar de mimo delicioso! Como quem não quer a coisa, vou lá fazer terapia num instante!


Natal diferente



Estava aqui com o rabo colado à lareira, como é meu hábito, a ver a mãe e a irmã nos afazeres culinários - nos quais eu não participo, em prol do bem estar de todos - e dei comigo a pensar em como os nossos Natais se têm deteriorado e melhorado ao longo dos anos.
Em pequena, depois de fazer com a minha mãe a árvore, ficava com duas ou três bolas, uma ou duas partes de fitas velhas e vinha para a rua, agasalhada, fazer uma construção, do tipo Presépio, na areia húmida que sempre houve na rua em frente à nossa casa. Quando vinha da escola, passava horas, horas sentada no chão da cozinha a ver as luzes piscar e, uns anos mais tarde, a ouvir também a música das mesmas. Já as sabia de cor. Era um ritual que eu adorava: ficava ali sentada, sozinha, a olhar para a árvore, até o rabo regelar! Na lareira colocávamos um chinelo...(não havia cá peúgas...nem calendários, nem chocolates como enfeites)...e pedíamos com todo o fervor que o Pai Natal trouxesse, pelo menos um dos nossos pedidos - antecipadamente elaborados num postal natalício que colocado na árvore, dias antes.
Não esperávamos pela meia noite. Não, não, que as crianças precisam de dormir e claro, se estivássemos acordadas, o Pai Natal não vinha!! Ainda me recordo de acreditarmos tão piamente na sua existência que até víamos (nas manchas da lareira) as pegadas deixadas por ele! Era tudo real e verdadeiro.
Fazíamos sempre broinhas de abóbora. Era uma azáfama na cozinha da minha avó: um passa-me açúcar, nozes, pinhões, farinha, frutas, mais açúcar, raspa de limão, mais farinha... E havia um cheiro a Natal...Das chaminés dos vizinhos, o aroma que brotava era às broas doces! Era Natal em todo o lado e não havia qualquer publicidade na rua. Simplesmente sabíamos que o era porque o sentíamos!

Ainda me recordo do dia em que uma prima me disse: o Pai Natal não existe...fiquei triste, fiquei sem chão. Cheguei a casa arrasada e refilei com a minha mãe por me ter mentido. Nunca perdoarei a minha prima por ter desfeito esse meu sonho.

A partir dessa data os rituais passaram a não ter tanto valor, tanto significado. Era Natal, mas já não havia o presépio na areia, nem o rabo regelado no chão da cozinha. Ainda fazíamos as broinhas e toda a panóplia de iguarias da época.
Importa dizer que gostava do Natal por tudo isto. Não pela festa que éramos obrigados a fazer na escola primária! Nhec! Decorávamos papeis...e músicas e posições no palco...Não gostava e ainda hoje não gosto.

Este ano já não fizemos as broas. Há doces para colocar na mesa e o amor que nos une a todos e que de ano para ano se identifica. O pé da nossa árvore contem as prendas - está bem composto sim senhor, mas não são estas que trazem a magia desta época. É o que temos dentro do nosso coração. Tenho uma só pestana aberta - um sono imenso! Acho que vou dormir até as 23h55 e depois acordem-me!

Merry Xmas!!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Da Anita; Da Inês; Da Teresa

Já sabem que este Natal, será para mim, vivido com menos intensidade - pelo menos no que concerne aos enfeitos e outras coisas semelhantes. Em casa, apliquei somente o snowman na porta, e um Pai Natal à entrada. Fiz alguns presentes - pois o orçamento é curto... - aos quais chamarei "lembranças"!

Aqui aproveito para vos desejar um Feliz Natal!
Espero vir aqui fazer uns registos ainda antes do final do ano! Tenho de avaliar as minhas resulutions do ano passado para ver se as cumpri!

Um beijinho a todos!

(23 mil já por aqui passaram)

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Achei que era melhor registar, parte dois:

Ocorreu-me este pensamento. Provavelmente, e ante a conjuntura atual e futura, este foi o ultimo ano que dei aulas, numa turma...E pronto, um pouco de mim desabou, mas foi mesmo um pouco...que eu sou muito forte...

[Não, isto não é dramatismo. Eu sei que existe sempre a possibilidade de lecionar através de uma oferta de escola, eu sei. Mas também sei que as chances são muito escassas...e também sei que os cortes que se avizinham são dramáticos...por isso, juntei 1+1...no chance]

http://ovalordosilencio.blogspot.com/

Achei que era melhor registar:

...Como somos seres estranhos...Como se pode estar feliz e triste ao mesmo tempo. Passou por aqui uma nuvem...choveu neste quarto agora. Que vida a nossa que não podemos criar raizes em lado algum. Que vida a nossa que quando começamos a gostar nos obriga a partir. Ah, é verdade, já me esquecia...sou professora...que cabeça a minha!!! (P* de vida)

Ainda não emigrar tenho muita sorte...

De partida

Amanhã sairei do Barreiro...

Estou feliz, muito, por regressar a minha casa! Ao meu lar e à minha família!! Vou matar saudades, vou passear o Lab, vou ginasticar!

Não vou dizer que deixo algo para trás, não! Porque, de todo, não deixo! Aprendi muito aqui! Vivi bons momentos, muito bons mesmo! Tanto na escola - que foi a melhor equipa com a qual trabalhei - como da minha família de acolhimento...do meu quartinho das bonecas!

A vida é assim mesmo...mas não devia. Fica sempre um pouco de nós e um pouco dos outros...Vou-me focar só no bom, só no positivo...impossível! Criam-se sempre laços que custam a "desfazer" - claro que se se quiser, o contato mantem-se! Eu sei! Mas eu gosto de presenças! Preciso delas!...Vá...Não vou chorar, mas confesso que, fui feliz aqui, muito feliz! Alguem me dizia hoje ao telefone: Gostas mesmo de estar aí! Vejo-te feliz! Só é pena pela distância! Se não fosse isso era perfeito para ti!"...Pois, pois era... (isso e o facto de acabar o contrato!)

http://re-nascer-es.blogspot.com/

domingo, 18 de dezembro de 2011

Diretamente de Cascais para o mundo

Hello!

Pois é de Cascais que vos escrevo! Mais propriamente da casa da minha irmã e namorado! Sim, que eles vão viver juntos! [e eu continuo a olhar para ela como se ela tivesse cinco anos e ainda andassemos de BMX]

Estou muito feliz por ela! Mesmo! Claro que me entristece a distância (eu e este assunto da distância...não conseguimos entender-nos), mas acho que será ela que irá fortalecer laços!
A verdade é que nós somos muito diferente e, como quase todos os irmãos, entramos em choque...Mas acho que isso agora vai desaparecer! Estou feliz!

Apesar do cansaso...esta semana foi muito intensa e não se avisinha, de todos, dias mais softs! Mas eu gosto! Gosto do lufa-lufa, da correria, do nó no estômago e...apesa de tudo, da poucas horas de sono!...Só lamento as olheiras - e não são fáceis de se instalar! - Já não me recordava de usar correto! É bom sinal! Há um ano atrás não fazia esta queixa!

E o melhor?! É que termino contrato dia trinta e um, não faço a mais remota ideia do que virá (e se virá) de seguida e...incrivelmente, não estou triste por isso! Antes pelo contrário, com a sensação de dever cumprido e a certeza de ter realizado um excelente trabalho!

Pronto, Natal à porta, não irei mesmo fazer a árvore, mas vou aproveitar o que tiver de tempo livre para elipticar, passear o meu Lab e mimar a minha família!



domingo, 11 de dezembro de 2011

Sabemos que o dia é longo quando...

...começamos antes das oito, com um ar de tédio a pensar: tenho mesmo de sair da cama...
...entramos numa sala de aula com cuja disciplina, matéria, docente, não nos identificamos mesmo nada...
...saímos para almoçar num qualquer shopping da capital onde, após este, se resolve metade de um caso clínica, em apenas cinco horas e meia...
...em menos de meia hora tratamos de duas prendas (Natal e Aniversário) lowcost...
...partimos, já com o rabo quadrado, para duas horas de viagem...
...chegamos a nossa casa, pousamos tralhas e excamamos: já tenho máquina de lavar roupa!
...trocamos de roupa e nos colocamos em cima da elíptica para, durante uma hora, descarregar todos os males de uma semana...
...tomamos um bom banho, vestimos uma roupa catita, colocamos uma boa make-up e, já a romper as duas, saímos para a noite...
...daçamos. Dançamos como se não tivesse sido uma semana difícil, como se não se tivesse passado o dia a trabalhar, como se não existisse no corpo mais uma viagem...

E hoje já é um novo dia!

Daqui: http://espacodomquixote.blogspot.com

Nota: a partir de hoje, farei questão em colocar os blogs de onde faço plágio das imagens. Assim existirá entre todos uma partilha.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Apeteceu-me


É como se entrasse pela janela do quarto um rasgo de sol e contrariasse o dia triste e sombrio que se faz sentir pelo Barreiro...

"Os inuteis mais bem pagos do país"

O que faz esta inutil mais bem paga do país num feriado?!? Hã?!? Ora adivinhem lá!!
Nada!
Absolutamente NADA!

Porque esta montanha de testes corrigir-se-á sozinha e as grelhas de cotação preencher-se-ão, como que por magia, automaticamente! Plim!



quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

É isto - traduzido por imagem



Ok, seria muito feio da minha parte não partilhar com os que seguem o blog o que se tem passado. No fundo justificar uma certa ausência e também a "tal tristeza" acumulada.
Todos sabem que eu adoro, amo, dar aulas - ser professora é a minha paixão à qual me dedico por inteiro, de corpo e alma. É pelo amor à profissão que faço os cerca de 300km...e foi por amor que me dispus a tal.
Mas também todos sabem o quanto eu amo a minha família, como gosto de estar em casa, como prezo a próximidade das minhas amigas e...inevitavelmente, a falta que me faz o meu Lab, a minha casa.

Confesso que, tal como aconteceu há 3anos atrás, os meus primeiros quilómetros são feitos entre lágrimas e mensagens de boa semana àqueles que deixo lá em cima e com os quais, a maior parte das vezes, não pude sequer estar um bocadinho ao fim de semana...Chegando "cá a baixo", entrando na sala de aula, esse sentimento desvanece e toda eu sou energia! À noite, quando regresso a casa, o cenário repete-se. É a solidão.

A par com esta situação, aumentei, como já há uns tempos referi, o peso. Pouco. Eu sei - sou consciente para o ver. Muitos são os que ainda me consideram magra. Mas todos sabem que já estive mais e, eu sei que já me senti melhor. Tem sido obsessivo. Doentio. Admito. Preenche-me por completo todos os momentos "vazios". É o pesar de consciência. É a falta da minha passadeira, da minha elíptica, das minhas caminhadas com o Lab. É tudo isto. E é por tudo isto também que não tenho escrito. Tenho vergonha de admitir tantas fragilidades ao mesmo tempo...

Depois vem a culpa. Por não estar a dar mais de mim no mestrado. "Tanto dinheiro investido"...mas não tenho tido vontade de pegar em nada. Trabalhos que sei que têm de ser feitos e que ainda nem estão pensados...O remorso por ter deixado a balança subir...
E a incerteza do futuro. Se por um lado me faz feliz saber que dentro em breve volto "para cima"- dada a interrupção do Natal e finalização do contrato, - por outro sei que vou ficar novamente desempregada...(daquilo que amo fazer)...

Com tudo isto - que são ninharias, mas que me têm absorvido por completo - ainda não fiz a árvore de Natal e...(cabisbaixa), pondero nem a fazer. Espero que os "ares" me inspirem quando estiver por casa...É triste. tantos sonhos que desmoronam à conta da minha má organização de ideias, de ideais, de ideologias...

Pronto. É isto. Estou desiludida comigo. Quero dar a volta por cima, sei que vou dar, só ainda não encontrei o ponto de partida. Mas vou encontrar. Não sei se já tinha dito...mas não estou habituada a falhar (à excepção do campo sentimental).

PS. Não sei se é para rir ou não, mas (outra coisa que me ajudou a "descompensar") fiquei com as duas máquinas (lavar roupa e louça) avariadas em simultâneo, com avarias idiotas e de difícil resolução (já para não falar dos custos), o que ajudou a sentir-me frustrada e culpada por ter de recorrer à "lavandaria mamã"...(e choro, porque me custa sobrecarregá-la...)

PPS. Também não sei se contribui ou não no meu estado de espírito o facto de a minha ruiva linda (irmã de sangue) vir morar para Cascais...(dói-me o coração e os olhos ficaram agora rasos de lágrimas...estranho)...

Tudo isto é triste, tudo isto existe...tudo isto é (o meu) fado (destino).



Da tristeza que se acumula

...lembrei-me agora que ler Calvin and Hobbes costumava ajudar...