Livro de Ponto

...Soma e Segue...

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Casamento: Penteados já guardados

Noiva que se prese começa a ver tudo o que lhe diz respeito muito antes da hora! Como os penteados, claro está! Já andei a dar uma olhadela e houve deles que me deixaram a sonhar...



domingo, 29 de abril de 2012

Por Marrocos...

Estou a brincar, é claro! Porque afinal só estou a meia dúzia de quilómetros de lá!
Desta vez decidi ficar por cá no fim de semana - porque afinal, também as pontes terminaram, mas gostava de saber se no parlamento se encontrará alguém...- adiante, que já chove...
Dizia eu que fiquei estes dias pelos algarves. O tempo não tem estado acolhedor, mas nem isso impediu de fazer grandes caminhadas com o Lab, que veio aqui dar um ar da sua graça! Temos aproveitado para trocar miminhos de saudade! É incrível como os animais nos surpreendem com a sua doçura, e este cão é um belo exemplo disso!
Hoje fomos encher a barriga de figos recheados! É uma perdição! Sou louca por aquilo! Nunca tinha provado, até ao dia em que a dona S. os trouxe para a escola! (E as calorias que aquilo tem? Aí meu Deus!) Aproveitamos ainda para explorar os arredores de onde trabalho. É fantástico como os locais ganham outra vida ao serem visitados com quem amamos!
Viver é isto. Ser feliz é assim! Pequenas coisas, que o são, mas que deixam o coração tão cheio!

domingo, 22 de abril de 2012

Casamento: Afinal, estou noiva!

Pois estou. E tenho andado tão cheia de coisas sem jeito, como
problemas que não são meus, mas que me afetam,
viagens e quilómetros que nunca mais páram, mas que tenho de fazer,
uma nota baixa, cuja frustração ainda não me passou...

E com tudo isto, acabo por não estar a saborear algo que devia (acho eu) ser mais intenso e vivido com outra euforia.
Temos tratado de algumas coisas, à distância, como quinta e cattering. Também já vimos as alianças...caras para xuxu! Nunca pensei!

Bem, agora vou ali com uma das minhas madrinhas, a minha Ruiva, exprimentar uns modelitos!
Ansiosa?! Muito!!

sábado, 21 de abril de 2012

Seria muito mau se passasse todo o dia a dormir?

O médico diz que é stress e que devia contrariar essa vontade. E eu bem que tentei. Apenas faltei à aula. Mas preparei-me para ir estudar para a biblioteca! Carregada que nem uma burra, lá fui eu. E, ajuda das ajudas, estava fechada! Mas que bom. Agora voltei a casa, podre de sono, e se não choro vou adormecer.

Não sei se isto é a injustiça da vida, ou não. Mas sei que ando tão farta e cheia deste estilo de vida, que só duas coisas me fazem sentir bem: comer e dormir.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

:(

A minha auto estima está pelas ruas da amargura...(tal como aqui)
Ainda fui caminhar/correr com uma amiga/colega, mas ainda assim sinto-me frustradíssima pelo mísero 13 que tirei numa cadeira de mestrado. Há muito que tal não me acontecia e, como era de esperar, estou a reagir muito mal. Tirando a parte de saber, perfeitamente, que não é o fim do mundo, pouco mais me anima perante esta vergonha!
Ainda fui ver a pauta novamente, à espera que tivesse visto mal...mas não, é mesmo real. Que miséria de nota.

Fico com as incertezas do costume. O medo de não estar à altura de o fazer e de cumprir com os objetivos propostos. Relembro todos os quilómetros feitos e os gastos que isso acarreta - não mencionarei questões emocionais...

Bolas, o mínimo que pedia era algum mérito...sinto-me em descrédito para comigo. Apetecia-me revirar o trabalho às avessas e fazer o impossível. Não à volta a dar-lhe. Vamos ver quanto tempo preciso para digerir.

Resiliência

Percebi que há coisas em mim que, definitivamente, não mudam. Continuo a não ser uma pessoa capaz de lidar com o insucesso e com a frustração. Continuo a colocar a fasquia demasiado elevada para comigo mesma e, à conta disso, a levar umas valentes bofetadas na cara.
Ainda tento dizer para mim o mesmo que digo aos miúdos: que a vida nem sempre é justa. Mas há coisas que são flagrantes de mais. Há injustiças que eu não entendo, há diferenças que não aceito.
Pronto. Vou ali choramingar um pouco e volto mais logo.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Dar que falar ao povo

Eu sou assim minha gente! Quando estou bem, ninguém me pára! Sou a miúda mais radiante, bem disposta e louca que vocês possam imaginar! Louca o suficiente para pegar na motinha dele e ir dar uma voltaaaaaa! Sim, sim! Louca o suficiente para a deixar ir a baixo e, para retomar a marcha, ter de me agarrar a uma oliveira! Hahaha! E tão louca quanto baste que dá até para passar por uma série de rapazes, entre eles o marido de uma das minhas damas de honor, e ter de pedir socorro para passar (no meio das terras de cultivo) com a mota! Hahaha! Isto tudo acontece depois de quinhentas tentativas de a tentar pôr a trabalhar (onde até consegui um rátér) e a minha mãe me disse: Ah isso é só para meninos!!

Ai meninas! Subiu-me uma esgana! E siga! De pé na moto, segurei-me à parede e...brummm!! A partir daí foi sempre a dar-lhe! Yeah!

Reação do noivo?!

Não foste para alcatrão, pois não?!
Nã, claro que não! ;)

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Como renasce um amor # 2

Ora, a história continua...

Depois da fatídica bebedeira que levara a princesa feliz a chorar desalmadamente, seguiram-se as saídas com o (ex) namorado. Muito por pena e por dó deste, que, no momento estava sozinho de companheiros.
Houveram jantares, cafés e convívios. Uma série de bem-estar que valia e fazia bem. No entanto, os sentimentos ainda não eram recíprocos. Feliz estava ainda magoada e sentia-se tão livre que era incapaz de partilhar outros sentimentos que não amizade.
Esta situação alongou-se durante muito tempo.
Aquando a colocação no concelho de Almada, foi seu grande suporte o príncipe - que a acompanhou a ajudou a alugar aposentos! O mesmo se seguiu no emprego seguinte no Barreiro.
Este apoio e companheirismo trouxeram sentimentos mais nobres e cuidados. O medo foi-se desvanecendo e a confiança prevalecendo.

Tudo corria bem. No entanto, havia o receio de, novamente, contar ao rei e à rainha da reaproximação do casal.
Numa bela manhã de domingo, após um agradável passeio pedestre com o Labrador, e sem transporte, o príncipe viu-se forçado a entrar no castelo dos pais da princesa. O rei, que andava a cuidar do jardim, saudou cordial e afavelmente o príncipe, convidando-o para almoçar.
A princesa ficou muito surpreendida, mas feliz.

Tempos mais tarde, algures por Cascais, a mão da princesa foi pedida em casamento.

E eis que este capítulo finda aqui. A princesa está noiva! Há cerca de três meses!


quarta-feira, 4 de abril de 2012

Quem é quem que tu queres saber!?

As manas! Quem é quem?!
Quase ruivas as duas!
E constatamos pela manhã que tinhamos dormido com o mesmo pijama!
Melhor!
Fomo nos pesar e temos as duas o mesmo IMC - 21.3! Adoro!!

PS: ela está melhor, mas terá de ficar de baixa médica, pelo menos, duas semanas... :(

terça-feira, 3 de abril de 2012

É costume as pessoas agarrarem-se a algo de bom, agradável e satisfatório para seguirem em frente e minimizarem o que vai estando à sua volta. No que me toca, nem sempre o consigo fazer.
Já disse, por várias vezes até, que a auto-estima nunca foi muito abundante por estes lados, e não é que não me esforce por tentar conquistá-la!
Eu olho à volta e o que vejo não chega para me animar. Bem sei que a situação atual é dramática, que apesar de tudo sou uma sortuda porque tenho a melhor família e amigos, e a sorte de ter emprego.
Diariamente esforço-me por ser mais e melhor. Por dar mais de mim aos outros e também a mim própria. Mas às vezes...é como se o vazio se apodera-se dos meus planos, das minhas conquistas e só me permitisse ver o lado escuro e sombrio da vida. As falhas, o beco sem saída onde parece que nos meteram.
Eu não sou avessa às mudanças, tento nunca o ser.
rose-brytto.blogspot.com
Aceitei de bom agrado o novo acordo, as novas distancias, a sexta edição da APA, as cinco primeiras retificações às minhas documentações de escola...mas agora já chega. Agora estou na fase em que não me chateia, nem enfurece. Agora estou na fase da tristeza. Do "não tenho culpa que não saibam fazer as coisas bem de origem e que à vossa custa os outros processos falhem"... Esta frustração alastrou-se em pouco tempo, como era de esperar. Trouxe-me noites em branco, apetites vorazes e...a desistência (o pleno baixar de braços) de um tema de trabalho de mestrado.
Hoje apetece-me por a cabeça num buraco. Não me sinto derrotada, mas sinto-me sem força para seguir.
Tenho sido omissa em muita coisa neste blog. Muita mesma. Hoje vou-me alongar só mais um bocadinho nas queixas...prometo. Só mais um bocadinho.

Vocês por acaso, alguma vez contaram, nos vossos serviços, a quantidade de gente inútil, frustrada, desagradável e mal humorada que por lá trabalha? Como é que, habitualmente reagem a essa escumalha? E se, imaginemos, tivessem sempre debaixo de olho, sempre com alguém a tentar apanhar-vos em falso? E...desculpem lá o tiroteio de questões, até vasculhassem as vossas coisas? ... Como é que reagem a esse nicho de gente? Conseguem ficar calados por quanto tempo?
Vou só acrescentar mais uns detalhes.
São essas pessoas que comandam as nossas equipas, que ficam com os louros e que, no fundo, condicionam o vosso contrato.

Sabem que mais, estou fartinha de gente mal amada, mal comida, o que seja. E se essas pessoas soubessem ou sonhassem o quão mal me deixam e como esse mal se alastra por mim e pelas minhas coisas...provavelmente eram capazes de fazer ainda pior.


segunda-feira, 2 de abril de 2012

Falta de Sono, Insónias ou Preocupações

http://parquedospoetas.blogspot.pt/
Já me deitei. Virei-me para um lado, para o outro. Para cima e também para baixo. Em vão. O sono não veio e eu sei que há inúmeras explicações para tal. Se por um lado me preocupa ter um trabalho de mestrado a entregar próxima quinta-feira - que ainda não está terminado, nem pouco mais ao menos; por outro também me deixa nervosa saber que a minha irmã será, novamente, operada, amanhã. Claro está que fomos tranquilizados de que não é nada de grave, está tudo bem. Mas é o ser "outra vez", novamente, de novo... A par com isso, estou numa indisposição tal que só visto. Quem não me conhecesse, ou não me visse há algum tempo, diria que estou gravidíssima. Com uma pança enorme e que, para ajudar na festa, me dói tanto... Lá fora o meu pequeno Lab ressona...e bem faz ele! Eu vou tentar curar os meus males adiantando o trabalho.

Talvez ainda aqui volte para fazer o ponto da (não) situação. Não imagino que isto vá correr bem...não queria agoirar e é apenas, apenas, um palpite.