Livro de Ponto

...Soma e Segue...

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Efeito Bola de Neve

Ando obcecada nessa coisa de "austeridade". Temos tentado aplicar o conceito como podemos aqui em casa. Cortámos em algumas coisas como por exemplo roupa. Há tempos que não compramos absolutamente nada. A par com isso reduzimos o gasto de água nos usos das máquinas (louça e roupa) e também nos banhos. Antes ousávamos encher (de quando em vez) a banheira com espumas coloridas! Agora é só chuveiro e no modo mais económico. O consumo de eletricidade nunca foi problema, tal como o gás, porque gastamos mesmo pouco. Televisão é objeto que praticamente só ganha pó cá em casa. E gás é somente o do duche.

http://www.mybanktracker.com/news/2010/10/14/debt-snowball-method-debt-free/

Cortámos também nos passeios de fim de semana. "Antigamente" não abdicávamos do nosso passeio (de carro) aos domingos. Andávamos sempre a conhecer coisas e até fazíamos fins de semana fora! (Sinto tantas saudades desses momentos...e mais do que saudades, sinto necessidade - para o bem do casal...) Agora os nossos passeios resumem-se a caminhadas com o Lab. Fazemos dois ou três percursos diferentes, mas sempre sem qualquer gasto adicional de combustível. 
Nas compras para casa passámos a usar marcas brancas em (praticamente) tudo. A ultima aquisição foi na água! E como me custa! Eu sou particularmente esquisita com o "sabor" da água. Mas é a diferença entre trazer três garrafões ou um. Enfim.

Hoje estava aqui em arrumações e a pensar se há algo mais em que possamos cortar. Lembrei-me das unhas de gel. Eu já tentei (é obvio que não morro por não as ter!), mas custa-me bastante! Primeiro porque nunca achei as minhas mãos bonitas e tendo de "trabalhar" com elas custa-me ve-las não cuidadas. E depois porque se cortar nelas, a moça que as faz perde uma cliente. Se todos deixarmos de consumir, ela terá de fechar o seu negócio. E é mais uma pessoa desempregada. Aplico também esta ideia ao cabeleireiro, à esteticista... e juntos aplicamo-la aos restaurantes. Se todos deixarmos de consumir o que quer que seja, haverá inevitavelmente negócios a fechar, pessoas a ficar desempregadas... será que a solução passa por aí?

7 comentários:

Lilli Popps disse...

Parece que toda a gente sabe isso excepto o governo, sem dinheiro para gastar é impossível haver consumo e sem consumo nada anda para a frente.
Quanto à agua também sou bastante esquisita com o sabor e isso nota-se mais por causa da acidez, mesmo em marcas brancas tens sabores diferentes, por exemplo eu gosto da agua da marca do pingo doce (que é mais ácida), já a do Continente não gosto. Fica a dica ;)

Feliz disse...

Pois é bem verdade! As coisas que são para nós lógicas, são para o governo "cegueira"...não entendo onde vamos parar assim!

Em relação à água, acho que temos gostos contrários!
Porque eu detesto a do Pingo Doce e "até nem desgosto" da do Continente! A minha água de eleição é a Fastio (ou Luso)...mas está acima das minhas capacidades...

Anita Garcia disse...

E nas poupanças que fazes, notas algo mais na carteira ou simplesmente o dinheiro vai para "tapar" o que se ganha a menos, devido ao aumento dos impostos directamente nos salários?

Feliz disse...

Não noto nada querida...a minha conta só desce...
em sido muito complicado, confesso!

tiago disse...

hoje em dia tudo no que pudermos cortar é bom mas temos a nocção que ao cortar-mos alguém não vai receber, ganhar...´como dizem e bem nos comentários, só o governo não vê isso, enfim. Também acho que ao poupar, esse dinhheiro que poupamos por vezes acabamos por gastar em outras coisas!!!!!
Poupar sim mas também abdicar em tudo!!!! Não fazermos com tanta frequência

Paulo Nunes disse...

Lá em casa só se compra roupa para os pikenos!
Em relação à agua usamos jarro com filtro, mas não respeitamos o tempo do visor. Apenas mudamos quando a água volta a ter o sabor da torneira.. senao.. não compensa!

Feliz disse...

Pois, eu já vi essas máquinas: no Barreiro a minha senhoria também tinha! ;)